“A escola é uma extensão da sua casa, trate-a bem, que ela lhe renderá muitos frutos.”
Gustavo Bottaro
( aluno do curso pré-vestibular colégio Meta do ano de 2011)

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Como andam as propagandas eleitorais ?


 O texto pode ser antigo, mas ainda extremamente atual.

Pode piorar sim, Tiririca

Por Roberto Pompeu de Toledo

Na semana passada teve início a edição 201 daquela hora da tristeza de ser brasileiro que é o horário político na televisão. Tal como se apresenta, ele não escapa de duas alternativas: a mistificação ou a indigência. Se a campanha é rica para cargo executivo e tem bons minutos na TV, não faltarão voos sobre as cidades e os campos, as florestas, os rios, as cachoeiras e os vastos horizontes, versão atualizada dos velhos filmes de Jean Manzon e do Amaral Neto Repórter como concordarão os últimos moicanos que ainda se lembram deles. A música apoteótica cabe o papel de reforçar o entusiasmo de quem já o possui ou despertá-lo nos que ainda resistem. Capturam-se no intervalo depoimentos de populares que, numa impressionante coincidência, se mostram todos, ricos e pobres, jovens e velhos, homens e mulheres, tomados de admiração pelo candidato.
Se a campanha é governista, desfilarão exuberantes plantações, obras públicas tocadas em ritmo febril, fábricas funcionando a todo o vapor, povo gozando de escandinavo nível de bem-estar. Se é de caráter nacional, serão mostrados em rápida sucessão o Cristo Redentor e os arranha-céus da Avenida Paulista, uma baiana e um gaúcho em seu cavalo. Tudo isso, claro, se fez presente na semana passada no programa inaugural de Dilma Rousself, e não foi por acaso: é a campanha mais rica, nacional, governista e com mais tempo na TV. O programa teve ainda mais: uma espetacular sequência em que a candidata, à beira do Arroio Chuí, dialoga com o presidente Lula em rondonia, à beira do Rio Madeira, os dois em posição de aplicar “um abração no nosso povo, um abração do tamanho do Brasil”, como disse Lula.
O programa de Dilma teve tudo e mais um pouco, para ilustrar a mistificação. Perdeu seu tempo quem procurou um projeto de governo, uma definição sobre tema controverso. Quanto à indigência, repete-se a conhecida parada macabra dos candidatos a deputado, os tipos suspeitos alternando-se com os sinistros, os desconhecidos com os exóticos. Tudo muito rápido, um empurrando o outro como quem enfrenta um corredor polonês, atropelando-se para dar um recado que na maior parte das vezes se resume à recitação de um nome e de um número. Pince quem for capaz um candidato que coincida com suas visões e aspirações nessa feira de desesperados.
Não é a existência em si do horário político que deve ser posta em causa. O acesso, bem ou mal igualitário, dos candidatos e dos partidos ao mais central e mais crucial dos meios de comunicação é um avança a ser preservado. O problema é o modelo vigente. Ele está longe de oferecer informação que possibilite escolhas claras e conscientes do eleitor. E o pior é que ele é o começo de tudo, no processo político.
E preciso repensá-lo, se se desejam eleições diferentes das que, ao fim e ao cabo, vão resultar nas instituições frouxas e da democracia de segunda ordem que temos hoje. Algumas regrinhas poderiam ajudar. Por exemplo, proibir, ou limitar, o uso de cenas ex temas.
Ou exigir, em um programa por semana, ou dois, ou quantos se arbitrarem, a presença ao vivo do candidato. Perde-se na espetaculosidade hollywoodiana que as campanhas ricas se acostumaram a ostentar, mas ganha-se na autenticidade. Medidas como essas tenderiam a corrigir o que os programas têm de mais vazio e, com desculpa pela expressão, alienante. De quebra, diminui-se o custo igualmente hollywoodiano das campanhas políticas brasileiras.
Mas o ideal mesmo, para produzir uma mudança “radical”, como diria o candidato Plínio de Arruda Sampaio, estrela inesperada da temporada, seria mudar o caráter do programa, que de “propaganda política” passaria a “informação política”. A propaganda já dispõe das muitas inserções que, ao longo do dia, são obrigatoriamente veiculadas na TV e no rádio. As duas edições diárias do programa de cinquenta minutos ofereceriam entrevistas com os candidatos, reportagens e debates produzidos e mediados por entidades neutras supervisionadas pela Justiça Eleitoral. Utopia? De realização distante como o Brasil Grande do programa de Dilma? Certamente. mas quem sabe, martelando se desde já, um dia pega?
Por enquanto ficamos com Tiririca. Tiririca é um cantor, ou ator, ou humorista (?!), ou seja lá o que for, que se apresenta como candidato a deputado federal em São Paulo. Ele diz, em seu comercial: “Que faz um deputado federal? Na realidade eu não sei. Mas vote em mim que eu te conto”. De bond, peruca e roupa que lembra um arlequim da roça, Tiririca termina com o slogan “Pior do que está não fica. Vote em Tiririca”. Fica sim, amigo Tiririca. Já ficou.
Revista Veja | 23 de agosto de 2010

sábado, 25 de agosto de 2012

GABARITO ATIVIDADE PEDAGÓGICA

(UEL - 2011) Questão 1 » Gabarito: D » Resolução: A alternativa A está incorreta porque o positivismo acreditava que o conhecimento sobre o mundo dos homens também poderia ser obtido de forma científica. A alternativa B está incorreta porque os fatos sociais também podem ser conhecidos como objeto científico; o positivismo pregava que poderia utilizar-se de objetividade e neutralidade para conhecê-los. A alternativa C está incorreta porque o positivismo procurava entender a sociedade a partir da ideia de organismos, fazendo analogias com as ciências naturais. A alternativa E está incorreta porque o cientista social deve possuir uma postura neutra frente ao seu objeto de estudo, a sociedade. Seus valores pessoais tem de ser abandonados e ele deve tornar-se mero observador.



 (UEM - 2011) Questão 2 » Gabarito: 01 + 02 + 04 = 07 » Resolução: 01 e 02) Corretas. Os fatos sociais ultrapassam a individualidade porque são instituídos pelo coletivo, por meio da coerção social. 04) Correta. Os fatos sociais antecedem e sucedem o indivíduo, sendo característica da própria sociedade. 08) Incorreta. A coerção dos fatos sociais é principalmente realizada sobre a psicologia do indivíduo, isto é, de natureza interior. 16) Incorreta. Os fatos sociais alcançam todos os indivíduos indistintamente. Os dos grupos intelectual e economicamente dominantes podem até compreender a dominação, mas dificilmente poderão fugir a ela sem pagar um preço de ordem social.





 (UEM - 2011) Questão 3 » Gabarito: 01 + 04 + 16 = 21 » Resolução: 01) Correta. A Sociologia vai surgir em um momento de forte aceitação da ciência como meio de explicação do mundo. Essa maneira de encarar a realidade leva a uma nova maneira de encarar também a sociedade. 02) Incorreta. A Sociologia está fortemente ligada às novas formas de organização social liberais e burguesas. 04) Correta. A Sociologia surge em um contexto de fortes mudanças do processo produtivo e de organização da sociedade, decorrente das revoluções políticas burguesas e da Revolução Industrial. 08) Incorreta. A Reforma Protestante não se vinculou ao ideal científico da sociedade, ainda propondo visões de mundo religiosas, embora organizadas com menos intermediações e dogmas do que na Igreja Católica. 16) Correta. As Revoluções Democráticas foram importantes por libertar o pensamento humano e as possibilidades do indivíduo em sociedade, temas de interesse da Sociologia.



 (UFU - 2010) Questão 4 » Gabarito: D » Resolução: • A afirmativa A está errada. A sociologia surge justamente na busca de soluções para conciliar o progresso humano (com sua consequente diferenciação) e sua efetiva harmonia social, junção defendida inclusive pelo positivismo; • a afirmativa B está errada, pois as teorias evolucionistas foram largamente adotadas nos primórdios da sociologia como meios de explicação de vários fenômenos sociais; • a afirmativa C está errada, pois o determinismo também foi usado para explicar as ações sociais, especialmente o biológico e o geográfico. As ideias de meio, momento histórico e antecedentes biológicos do individuo eram elementos definidores das ações destes para os primeiros sociólogos.




 (UPE - 2010) Questão 5 » Gabarito: A » Resolução: Está errada a alternativa A. Durkheim não fugia às teorias positivistas de Comte, portanto, para ele, a ideia de ordem estava intrinsecamente ligada à de harmonia social e mesmo de sociedade. Uma sociedade sem ordem viveria em estado anômico.




 (UEM - 2009) Questão 6 » Gabarito: 29 » Resolução: 01 + 04 + 08 + 16 = 29 A afirmativa 01 está correta. Ela indica o poder da sociedade de influenciar os indivíduos desde o nascimento. A 02 está errada. O texto não faz referência a essa distinção. A 04 está correta. O texto descreve elementos do processo de socialização. A 08 está correta. Pois mostra como até os nossos processos mais íntimos sofrem influência da coercitividade social. A 16 está correta. A resposta do adulto às necessidades da criança corresponde ao meio no qual ela se desenvolve e à expectativa que ele tem em relação ao desenvolvimento dela.



 (UFU - 2011) Questão 7 » Gabarito: A » Resolução: A afirmativa A está correta, pois a consciência coletiva implica um comportamento conforme os ditames da moral do grupo. É um valor que cobre todos os membros de determinada sociedade, ajudando a sedimentar sua coesão social. A afirmativa B está incorreta, porque, se a consciência é coletiva, logicamente não pode ter por substrato um único órgão e depender das condições particulares dos indivíduos. A afirmativa C está incorreta, porque as gerações sucessivas tendem a seguir os princípios da consciência coletiva da geração anterior, sendo o desenlace dela de extrema dificuldade e conflito. E a afirmativa D está incorreta, porque é um conjunto de crenças e sentimentos do grupo e não de alguns indivíduos, que forma um sistema integrado e com vida própria. 



(UEM - 2008) Questão 8 » Gabarito: 08 » Resolução: A afirmativa 01 está errada, pois a análise não leva em conta a ação dos indivíduos que compõem a sociedade e portanto ajudam a definir as instituições; a afirmativa 02 está errada porque apesar de o líder definir parte dos caminhos da tribo e/ou família, ainda assim ele recebe orientações externas (ainda que não diretas) das relações sociais dos membros componentes, atendendo, na maior parte dos casos, a seus anseios para obter legitimidade; a afirmativa 04 está errada porque a mudança em uma instituição levará consequentemente à mudança das que estão ligadas a ela por conta da interdependência; a afirmativa 16 está errada porque as religiões afro-brasileiras são instituições que têm grande importância do ponto de vista cultural e religioso para o negro brasileiro, pois representam um elemento de afirmação de sua identidade.


 (UFU - 2009) Questão 9 » Gabarito: D » Resolução: Max Weber indica quatro tipos principais de ação social, que na sua definição é a ação que se orienta pelas ações de outros: 1 - ação social racional com relação a fins; 2 - ação social racional com relação a valores; 3 - ação social afetiva; 4 - ação social tradicional. O primeiro tipo volta-se a um objetivo racional de obter-se um determinado comportamento dos demais membros da sociedade, tudo de forma planejada e premeditada, avaliando-se os meios e os fins; O segundo tipo apresenta uma racionalidade em sua execução (planejamento dos fins) mas com uma base motivadora de cunho afetivo e não racional; O terceiro tipo é uma reação a estímulos afetivos, uma espécie de descarga consciente de emoções; Por fim, a ação social tradicional baseia-se no costume, na repetição de gestos arraigados pela tradição. Nas opções indicadas, a nº 1 não pode ser considerada ação social racional, pois não possui expectativa em relação ao outro; a nº 2 é uma ação social de cunho afetivo; a nº 3 é uma ação social tradicional; a nº 4 é uma ação racional com relação a fins; e a nº 5 é uma ação social racional com relação a valores.


 (UFU - 2008) Questão 10 » Gabarito: D » Resolução: A afirmativa A está errada, as organizações burocráticas caracterizam-se por relações de tipo racional e não afetivo emocional. A afirmativa B está errada, é na ação racional referente a valores que as tradições e crenças são levadas em conta. A afirmativa C está errada pois o processo de desencantamento do mundo é resultado de uma ordem de valores em que predomina uma ética racional, concomitantemente ao abandono de qualquer crença religiosa.

 (UFU - 2010) Questão 11 » Gabarito: B » Resolução: A afirmativa B está errada. A ideia de Estado em Weber parte de um pressuposto que a sociedade aceita o domínio exercido por este, tanto que ele é legítimo. Se esta se rebelasse, a noção de legitimidade seria perdida e a dominação burocrático-racional pretendida para organizá-lo não se efetivaria.

 (Unesp - 2012) Questão 12 » Gabarito: D » Resolução: A alternativa A está incorreta, pois o texto não fala em prevenção psiquiátrica e segurança pública como meios de evitar tragédias violentas, mas sim na ligação que existe entre o fanatismo religioso e o mascaramento de desejos reprimidos, como afirma a alternativa D, que está correta. As alternativas B e C também estão incorretas porque apontam explicações do ponto de vista religioso, o que o autor do texto não faz. Já a alternativa E está incorreta porque, do ponto de vista do autor, os ideais de pureza moral podem ser negativos no processo educativo.

 (UPE - 2012) Questão 13 » Gabarito: B » Resolução: A afirmativa A esta incorreta, pois a divisão da renda ainda é um problema a ser resolvido no país, e sua solução não está somente no combate à corrupção, mas também em uma reestruturação do modelo de desenvolvimento nacional. A alternativa B está correta, pois não é por meio dos impostos arrecadados que o Estado vai corrigir as desigualdades, mas sim por sua atuação na esfera econômica e social, possibilitando que todos tenham alcance a oportunidades de desenvolvimento. A afirmativa C está incorreta, pois nem todos os setores estão contemplados no processo de industrialização nacional. A afirmativa D está incorreta, pois não há essa hierarquização rígida. As pessoas podem mudar de classe social e econômica a partir do esforço individual. Por fim, a alternativa E está incorreta porque o que determina a desigualdade social é um maior ou menor poder econômico. A noção de relação de classes como determinante de desigualdade social é válida na teoria marxista, mas ela não é mais plenamente aplicável em nossa época.

 (UPE - 2012) Questão 14 » Gabarito: B » Resolução: A afirmativa A está incorreta, pois pessoas unidas por laços consanguíneos formam uma família e esse tipo de instituição é diferente da originada por relações espontâneas entre as pessoas. A alternativa B está correta, pois a comunidade é caracterizada por um conjunto de relações sociais de esfera microssocial, que atende a praticamente todas as necessidades de sociabilidade. A alternativa C está incorreta, pois mesmo nas comunidades nas quais os interesses são muito próximos, sempre há alguma forma de coerção do grupo sobre a vontade livre do indivíduo. A afirmativa D está incorreta, pois no Brasil existem diversas formas de comunidade, mas todas elas estão inseridas em um espectro maior, que é a sociedade brasileira. Enquanto a comunidade representa as características de uma localidade, a sociedade representa as características da nação. Por fim, a afirmativa E está incorreta porque, se a comunidade é heterogênea, as atividades e o estado de espírito de todas as pessoas não são semelhantes.


 (UEL - 2011) Questão 15 » Gabarito: E » Resolução: A ética trata das formas de agir e dos meios para se alcançar um determinado fim. Ela varia de grupo para grupo, de época para época. Existe também uma dimensão individual da ética, que em muitos casos pode conflitar com aquela aceita coletivamente. Com a corrupção, deparamos-nos com esse conflito, já que a ética do sucesso individual prevalece sobre a ética do bem coletivo. Como vivemos em sociedade e só podemos aceitar o sucesso individual a partir do bem coletivo, podemos dizer que a opção II está errada porque reitera uma conduta baseada apenas no aspecto individual. Na sociedade, a conduta ética individual está inserida na expectativa de conduta ética coletiva e, portanto, deve respeitar o bem comum.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

ABAIXO SEGUE POSTAGENS QUE PODEM COLABORAR PARA A AVALIAÇÃO DO DIA 13/08

TEXTO 1: A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo /Autor: Max Weber

A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo /Autor: Max Weber Resumo de: João Marcos Sobreira Lucas Nesta obra Weber compara várias religiões no tocante, principalmente, a sua conduta ética. Weber destacou o Calvinismo como a religião que contribuiu de forma decisiva para o desenvolvimento do capitalismo moderno. O fundamento desta tese está no fato do Calvinismo defender a doutrina da predestinação. Isto significa que o indivíduo já nasce eleito (salvo) por Deus ou condenado ao inferno. Consequentemente o grande tormento psicológico para um calvinista da época era a dúvida (salvação ou condenação?). O modo de vida do homem calvinista era racionalizado, sistemático; qualquer atividade realizada era para aumentar a glória do Senhor. Praticava um ascetismo racional; isto significa que tudo deveria ter um propósito lógico, que justificasse sua execução. Como por exemplo, assim como o sexo seria para procriação, o esporte seria para manutenção da saúde. Imbuídos desse pensamento, qualquer atividade com finalidade lúdica ou obtenção de prazer carnal seria condenado por Deus. A solução técnica encontrada pelos calvinistas para se ter certeza da salvação foi através do trabalho. Seu sucesso material, oriundo do trabalho, seria traduzido como uma bênção de Deus. Quanto mais riquezas alcançadas (maior acúmulo de capital) maior a certeza de ser um homem escolhido por Deus. Antagonicamente, um homem pobre seria, na visão calvinista, um predestinado ao inferno. O homem calvinista dedicava seu tempo a trabalhar como meio de se certificar da salvação e não como meio de obtê-la, já que segundo o Calvinismo o homem já nasce predestinado. Isso levou a formação de um grande número de postos de trabalho, de mão-de-obra especializada. Porém, a riqueza alcançada não seria utilizada de forma egocêntrica, mas sim somente poderia ser usufruída como meio de subsistência e que servisse ao aumento da glória do Senhor. Esse comportamento levou os calvinistas ao acúmulo de riquezas e a eliminação de gastos desnecessários. Consequentemente houve um aumento de poupança, que por sua vez levou ao aumento de capital (através dos juros), o que forneceu a base necessária ao desenvolvimento do capitalismo moderno. Segundo Weber, o Luteranismo não contribuiu para o desenvolvimento do espírito do capitalismo devido a sua ética se apoiar na doutrina da salvação pela fé. Portanto, um Luterano não precisaria de um sinal material para se ter a certeza da salvação, bastaria unicamente a fé em Deus. Ainda segundo Weber, o Catolicismo também não poderia ter contribuído para tal fim, já que no Catolicismo os pecados são perdoados por absolvição, o que faz com que seus membros se sintam confortáveis em relação à vida eterna, pois basta a confissão para serem perdoados. Weber eliminou a possibilidade da vaidade humana, entre os calvinistas, ter sido o fator para o acúmulo de riquezas. Lembrando que Weber excluiu essa hipótese baseado em milionários puritanos norte-americanos que não deixaram herança para os filhos; alegaram que isto (a herança) poderia levá-los ao desprezo pelo trabalho. Porém, vejo que esta variável (vaidade) não poderia ter sido omitida, sabendo que um homem bem sucedido materialmente poderia se sentir e ser visto como um membro privilegiado de sua classe. Em uma sociedade onde a salvação era fator de suma importância para o bem-estar do homem, um calvinista sem muitas posses poderia se sentir constrangido, isso o faria trabalhar mais ainda para a constituição de um Capital que melhorasse sua auto-estima, fazendo-o aparentemente um eleito por Deus. Ou seja, a vaidade o motivaria. O fato de não deixar herança para os filhos não exclui a possibilidade da vaidade calvinista. Já que o sucesso material fornece a resposta para a salvação, é evidente que alguém não poderia verificar se estava salvo através de uma fortuna que não foi obtida através do seu trabalho. Portanto, esses milionários poderiam estar preocupados com a imagem que construiria para seus filhos, o que novamente pode se relacionar, do ponto de vista psicológico, com a vaidade humana.



  Atividade


(UEL - 2011) Questão 1- A F-1 começou a perder as características que encantaram gerações nos anos 1990 quando o salto tecnológico tornou o piloto quase um coadjuvante no cockpit. “Os carros de corrida são equipamentos e não mais automóveis. No volante, há mais de 100 botões. O condutor virou um operador de máquinas”, reclama Bird Clemente, 72 anos, primeiro brasileiro a guiar, profissionalmente, um carro de corrida. No passado, esse esporte dependia muito mais do talento do piloto para regular um carro. Hoje, espremido no cockpit como mais um funcionário de um negócio que movimenta bilhões de dólares, o piloto cumpre religiosamente as regras do mercado.(Adaptado de: CARDOSO, R.; LOES, J. O Esporte Perdeu. Revista IstoÉ, 4 ago. 2010, ano 34, n. 2125, p. 84-85.)

 A lógica do esporte e da fruição é englobada pela lógica do mercado. A importância dada ao negócio (negar o ócio), conforme análise de Max Weber em sua “Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo”, revela que
 I. o trabalho atende às regras do mercado, destacando a prevalência do negócio, em razão da necessidade de produção capitalista.
 II. a dimensão religiosa, presente nos primórdios do capitalismo, na figura do protestantismo de orientação luterana, valoriza o caráter sagrado da atividade fabril, em detrimento do trabalho braçal.
III. o negócio, quando praticado de acordo com os preceitos divinos, viabiliza a distribuição igual e solidária das riquezas produzidas.
 IV. o ato de negociar, próprio do comércio, depende da força produtiva, conectada à divisão social do trabalho no mundo secularizado.
 Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas I e IV são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

 (UFU - 2008) Questão 2- Segundo Max Weber, “Uma economia racional é uma organização funcional orientada para os preços monetários que se originam nas lutas de interesse dos homens no mercado. [...] Quanto mais o mundo da economia capitalista moderna segue suas próprias leis imanentes, tanto menos acessível é a qualquer relação imaginável com uma ética religiosa de fraternidade. Quanto mais racional, e portanto impessoal, se torna o capitalismo, tanto mais ocorre isso.”WEBER, Max. Ensaios de sociologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 1982. pp. 379-380.

 Com base nos preceitos teóricos da sociologia de Max Weber, assinale a alternativa CORRETA.

 A) Relações sociais de tipo carismático são as peças-chave das organizações burocráticas modernas, na medida em que se assentam em bases afetivas e emocionais.
B) Diferentemente da ação racional referente a valores, a ação racional referente a fins é aquela em que o agente se orienta com base na crença e na santidade das tradições.
C) O processo de desencantamento do mundo é o resultado inexorável da crescente importância das éticas religiosas nas sociedades modernas ocidentais, tais como o catolicismo e o protestantismo.
D) Dentre todas as éticas das religiões mundiais, a ética protestante revelou-se a mais fundamental para a formação e a consolidação do tipo de racionalidade preponderante nas sociedades modernas ocidentais. 

(UFU - 2008) Questão 3- Considere a seguinte citação: “Quando não puderam mais acreditar na imortalidade da alma, muitos ocidentais trocaram o projeto de alcançar o paraíso pelo de melhorar a vida humana na Terra.” RORTY, Richard. Náusea em Londres. Caderno MAIS! Folha de S. Paulo, 5 de fevereiro de 2006, p. 10.

Acerca da concepção de sociedade na teoria weberiana, responda: A) Qual é o conceito-chave para se compreender a particularidade social moderna? __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

B) Qual fenômeno histórico de caráter religioso se encontra na raiz do tipo de ética que se tornou preponderante nas sociedades ocidentais modernas? ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


 (UFU - 2009) Questão 4- Weber, em sua obra A Ética Protestante e O Espírito do Capitalismo, investiga as razões de o Capitalismo ter-se desenvolvido de forma peculiar no ocidente.De acordo com essa informação, explique qual a relação que Weber estabelece entre a ética protestante e o desenvolvimento do capitalismo ocidental moderno. ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Resumo do filme: Piratas da Informática

O filme conta através das personalidades de Steve Jobs, Steve Wozniak, Bill Gates, entre outros, o desenvolvimento da história da microinformática e da popularização dos computadores. Mostra algo sobre a luta de alguns estudantes contra o domínio da produção de computadores por grandes empresas e também faz uma abordagem a cerca das primeiras reações culturais a esse processo de popularização.Steve Jobs é um garoto hippie e contestador, que vai a passeatas na universidade, toma LSD e tem inspirações messiânicas. Toda essa fúria vem do sofrimento: Jobs chora, faz terapia e não se conforma com o sumiço da mãe biológica. A namorada de Jobs fica grávida, e ele não quer assumir a criança. Mas acaba exigindo escolher o nome da filha – Lisa, mesmo nome que deu, em 1978, ao antecessor do Macintosh.Bill Gates é o completo oposto. Faz coleção de revistas Playboy e gosta de beber cerveja jogando pôquer com seus amigos Paul Allen e Steve Ballmer.No início dos anos setenta, os computadores, chamados de mainframes, eram de grande porte e ocupavam grandes espaços. Embora não houvesse computadores pessoais como os que tão comumente encontramos hoje, existia um público ansioso por poder usufruir dessa tecnologia. Alguns apaixonados pela eletrônica começaram a desenvolver protótipos de circuitos que poderiam ser microcomputadores. Entre eles, podemos mencionar os nomes de Steve Jobs e Steve Wozniak, que juntos desenvolveram uma espécie de primeiro computador pessoal como resultado de intensos trabalhos numa garagem. Eles deram o nome a esse protótipo de Apple.Com o sucesso do modelo, eles decidiram fundar uma empresa para aprimorar o microcomputador Apple e em 1977, surgiu a Apple Computer.No lançamento do Apple II em 1977 numa pequena feira de informática, Bill Gates, até então desconhecido, é esnobado por Steve Jobs. A partir deste momento ele resolve destruir a Apple.As grandes empresas como IBM, Xerox e outras não acreditavam na popularização dos computadores pessoais e nessa época não se interessaram pelo investimento. Mais logo perceberam o que estavam perdendo e começaram a retomada do tempo perdido na busca de produzir melhores computadores que a Apple Computer, que fechou a década como uma das melhores.Em 1980, a IBM decidiu entrar no setor e queria fabricar um microcomputador que superasse o Apple II da Apple. A empresa criou o hardware do computador, os circuitos lógicos em si, porém deveria haver um sistema operacional para que ele e os programas pudessem funcionar. Contratou então uma outra empresa, a Microsoft para criar um sistema operacional que fosse compatível com o seu projeto.Precisamente nesse ponto, entra na história a figura daquele que se tornaria um dos homens mais ricos de todos os tempos, Bill Gates. Ele comprou, por 50 mil dólares, os direitos de um sistema operacional quase pronto, que não tinha muito poder de processamento e nem muita memória, desenvolvido por outros universitários e fazendo algumas modificações, entregou-o para a IBM, que por sua vez lançou o IBM PC em 1981.Em um centro de pesquisa da Xerox, a APPLE é instrumentalizada com mecanismos que facilitam o uso dos computadores pelas pessoas. A partir disto a Apple cria o Macintosh e o Lisa, dois projetos com interface gráfica. É assim que surge a interface gráfica, ícones que através do mouse guiam à seleção e execução de tarefas.Mas, uma cartada de Bill Gates define a liderança da IBM e da Microsoft no mercado de computadores. Com muita malícia, ele fecha um contrato para fornecer programas para o Macintosh. Quando Jobs percebe, Bill já roubou sua tecnologia e criou o Windows – uma cópia deslavada do Macintosh.O filme termina com a Apple se rendendo, em 1997, a Bill Gates – coisa que realmente aconteceu. 
Fonte: http://www.sosestudante.com/informatica/resumo-do-filme-piratas-do-vale-do-silicio.html 


link do filme PIRATAS DA INFORMÁTICA http://www.youtube.com/watch?v=9dHlxEXsV4Q

terça-feira, 12 de junho de 2012

ATENÇÃO ALUNOS (AS) 2º ANO META Trabalho Política e Ética nos Partidos políticos

ATENÇÃO ALUNOS (AS) 2º ANO META Trabalho Política e Ética nos Partidos políticos REPASSEM A INFORMAÇÃO. OBRIGADA! Orientações/ modificações para trabalho 2º ano META: DEVIDO À QUESTÃO DO VALOR DE CADA CARTAZ MODIFICAMOS A CONFECÇÃO DO MESMO. SEGUE ABAIXO AS ORIENTAÇÕES: 1) O cartaz deverá ser feito em cartolina ( papel cartão) PRETO. OBSERVAÇÃO: Você poderá utilizar mais de uma cartolina ( papel cartão) PRETO para UM vereador caso seja necessário. 2) A entrevista deverá ser impressa em Folha A4 BRANCA , com a formatação já estipulada em sala de aula. 3) As fotos deverão ser coloridas, havendo pelo menos TRÊS FOTOS PARA CADA VEREADOR. OBS.: Caso queira poderá utilizar fotos da sessão que participamos na Câmara Municipal.

domingo, 3 de junho de 2012

Professor da USP contesta aquecimento global em palestra

Há pelo menos três décadas o tema sustentabilidade tomou conta da agenda internacional. Governos do mundo inteiro se dizem preocupados e montam estratégias de “como conservar o planeta”.
Visando debater este tema é que no próximo dia 06/05, a Associação de Dirigentes de Vendas e Marketing - Seção Pará (ADVB-PA) promove, no salão nobre da Associação Comercial do Pará (ACP), às 19h, palestra com o professor de climatologia da USP, Dr. Ricardo Augusto Felício. Durante a palestra, que tem o apoio do Grupo RBA, FAEPA e CONJOVE, ele irá contestar a hipótese de aquecimento global.
Professor doutor de Climatologia do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (USP), Felício atua como pesquisador da área de Climatologia Antártida e Variabilidade Climática. Em sua tese doutorado, o especialista argumentou com todas as letras que “o aquecimento global é uma mentira”. Segundo ele, não existem provas científicas desse fenômeno.
Felício participou de duas missões antárticas, uma pela Marinha do Brasil e outra como pesquisador do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), atuando nas atividades de Meteorologia Operacional Antártica e de pesquisa em climatologia. Atualmente pesquisa a ação dos ciclones extratropicais no continente antártico e teleconexões com o Brasil. Também realiza trabalhos sobre o tema da variabilidade climática e suas implicações, com ênfase nas discussões que cercam o “aquecimento global antropogênico”, que são os impactos no meio ambiente gerados pela ação do homem

<iframe width="420" height="315" src="http://www.youtube.com/embed/oJTNJBZxX6E" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
Nesta palestra você pode ver por pessoas sérias derrubando mitos como o efeito estufa, o aquecimento global e outras falácias dos aquecimentistas.

Se este vídeo imenso realmente não valesse a pena ser visto, eu não teria subido ele, se coloquei aqui é porque vale ser visto.

Mudanças Climáticas: Contra as Certezas

Luiz Molion
Ricardo Augusto Felicio
Mark Lund
Mario Fontes
Guilherme Polli
Kenitiro suguio
Geraldo Lino
Marcel Ligabo

<iframe width="560" height="315" src="http://www.youtube.com/embed/fXLwPT3VL0I" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
- Modelo Global e Modelo Regional

- Pacífico frio de 1947 a 1976

- Análise de 6 em 6 horas de 1948 até o presente

- 2010 parecido com 1956

- Feedback negativo, se o planeta estivesse aquecendo haveria mais nuvens.

- Escândalo do Climategate

- A poluição americana gerou fartura de alimentos no mundo por mais produção agrícola.

- Nasa calculou o clima pretérito de 1980 até 2003 e errou, inclusive o modelo usado mostrou 20% a menos de chuva na Amazônia, assim errando na fonte de energia, o que compromete todo o cálculo.

- Livro "Uma Demão de Verde"

- Livro "Máfia Verde"

- Água quente expulsa Co2

- El Niño contribui para liberação de Co2

- Acidificação não existe, o que existe de carbonatos e silicatos na Camada de Mistura (200m) dos oceanos é suficiente para fixar todo o Co2 que existe na atmosfera e sobra

- Nos próximos 20 anos o Sol estará no mínimo de um ciclo de 100 anos

- Resfriamento até 2046

- Jornais, revistas, redes de TV ignoram cientistas

- É lavagem cerebral falar para crianças na escola que o homem está acabando com a Camada de Ozônio e aquecendo o planeta, que são hipóteses (menos que teoria) que nunca foram comprovadas

- Europa e Ásia passarão invernos rigorosos

- Andam mudando as Leis no Brasil antes que o mundo esfrie, antes que descubramos a farsa do Aquecimento Global

- Mídia omite fatos científicos